Página Inicial

Organizações e movimentos sociais dos países do bloco e de países que serão atingidos pelos projetos do Novo Banco de Desenvolvimento debateram e articularam suas lutas por direitos frente ao avanço dos investimentos.
por

Diante da indefinição por parte dos governos sobre o que se entende por desenvolvimento sustentável, os povos dos BRICS deverão demandar que o bloco priorize um novo caminho de desenvolvimento.

Publicado originalmente na Carta Capital, em 21/07/2014

 

 

 

Democracia

Rua 25 de Março, no distrito da Sé, cidade de São Paulo, Brasil.

O vídeo “Nova classe média: mito ou realidade?” traz questionamentos e análises sobre a utilização do termo “classe média” na atual sociedade brasileira dando enfoque a quesitos sócio-político-econômicos do país. O vídeo conta, entre outros, com a participação de autores da publicação "A 'Nova Classe Média' no Brasil como conceito e projeto político" como Marcio Pochmann, professor de economia da UNICAMP e ex-diretor do IPEA,  e Dawid Bartelt, diretor da Fundação Heinrich Böll Brasil. O vídeo foi produzido pela Fecomércio SP.

Remoções forçadas é um dos temas da publicação disponível em três idiomas

A escolha como sede da Copa do Mundo trouxe ao país a promessa de ganhos sociais e econômicos, embalados pela emoção do futebol. Mas o que se vê é uma onda de questionamentos sobre o real significado do megaevento para a população brasileira. A Fundação Heinrich Böll convidou jornalistas e especialistas para produzir análises sobre estes questionamentos. O resultado foi reunido no webdossiê “Copa para quem e para quê?” 

Seminário “Copa 2014 – O Que as mulheres têm a ver com isso?, salvador (Bahia)”
por

Em 2011 a filha de 17 anos de Elisangela Sena recebeu a visita de técnicos da prefeitura e da Guarda Municipal. O motivo: sua casa no Morro Pavão-Pavãozinho, zona sul do Rio de Janeiro, seria demolida por estar em área de risco. “Me perguntaram quem era o dono da casa e eu falei que minha mãe não estava. E eles disseram que iam derrubar a casa ali, na hora. E eu falei, não, não pode a minha mãe não está aqui”.

Direitos Humanos

por

Durante os preparativos para a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos cerca de 3.000 famílias já tiveram que deixar suas casas e aproximadamente 8.000 estão ameaçadas de remoções no Rio de Janeiro. Este mapa registra os locais e a situação das comunidades  removidas ou ameaçadas pelos megaeventos na cidade do Rio.

Logo da "Copa Popular"
por

Uma centena de atletas, treinadores e ativistas se reuniu cedo na frente do Maracanã no Rio de Janeiro para uma corrida improvisada de duas voltas ao redor da instalação esportiva. Entre eles, alguns dos atletas mais bem-sucedidos do Brasil, que se preparam para os Jogos Olímpicos de 2016. Eles se autodesignam “sem-teto do atletismo”, já que na futura cidade-sede olímpica não há lugar adequado para treinar. A corrida matinal do sem-teto do atletismo é uma das várias formas criativas de ação com que os brasileiros tentam chamar a atenção para as péssimas condições no período que antecede os megaeventos esportivos.

Inauguração da UPP Salgueiro, Rio de Janeiro, em Setembro de 2010.
por

No Brasil 6% da população vive em favelas, cerca de 11,4 milhões de pessoas. No censo de 2010 o estado do Rio de Janeiro possuía cerca de dois milhões de pessoas vivendo nessa condição. A Favela da Rocinha é o exemplo emblemático da predominância desse tipo de assentamento urbano no Rio de Janeiro. Segundo o IBGE, é a mais populosa do país, com cerca de 70 mil moradores, número que é contestado pelos moradores, que afirmam haver entre 180 a 220 mil pessoas. Sempre relegada na partilha dos benefícios produzidos pela cidade, as favelas permanecem com problemas sociais crônicos, mas em especial a violência, os tiroteios constantes entre polícia e traficantes que aterrorizavam moradores e sua vizinhança foram fontes de incontáveis manifestações e promessas de mudança pelas autoridades públicas.

 

 

Ecologia Política

Print screen do vídeo em 0:09 segundos

Produzido pela Fundação Heinrich Böll e 123comics, a animação “O que é neoextrativismo?” apresenta o tema por meio de uma análise socioeconômica, apontando os problemas relativos ao modelo em curso e a necessidade de mudanças que proporcionem um desenvolvimento econômico respeitoso com os recursos naturais e que priorize a justiça socioambiental.

 

1ª Liberação do programa de controle genético do Mosquito Aedes Aegypti

Nota à imprensa enviada por Agricultura Familiar e Agroecologia (AS-PTA), Red América Latina Libre de Transgénicos (RALLT), Third World Network, GeneWatch UK - Edição de Manoela Vianna, assessora de comunicação da Fundação Heinrich Böll 

Organizações da sociedade civil manifestam sua preocupação com o aumento da incidência de casos de dengue em Jacobina, Bahia, município onde foram feitos testes de campo com mosquitos geneticamente modificados. No local foi renovada medida que decreta situação de emergência em face da epidemia da doença.

Mesa de Abertura do III ENA
por

A diversidade e a alegria marcaram o III Encontro Nacional de Agroecologia (ENA), realizado na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Juazeiro (BA). Mais de duas mil pessoas de todo o Brasil debateram “Por que interessa à sociedade apoiar a agroecologia”, tema mobilizador das atividades, entre os dias 16 e 19 de maio. A Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), uma rede de organizações sociais do campo brasileiro, foi a realizadora do evento.

Gênero

Antonieta Rodriguês é um símbolo de resistência aos processos de remoções
por

A Fundação Heinrich Böll Brasil entrevistou Antonieta Rodriguês, ex-moradora do Campinho, comunidade localizada em Madureira, Zona Norte do Rio e extinta em 2011 para passagem de parte da Transcarioca. Engajada na luta contra as remoções e as injustiças decorrentes das mesmas, Antonieta perdeu sua casa, mas permaneceu no mesmo bairro, recusando a proposta da prefeitura de ocupar uma unidade do Programa Minha, Casa Minha Vida em Vila Cosmos, a 60 km de distância de sua antiga residência. 

Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ)
por

Em entrevista, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) responde a perguntas sobre o projeto Gabriela Leite (PL 4.211/2012) e argumenta que “muitas pessoas entram na prostituição por necessidade, como também é fato que muitas entram por vontade própria, porém, o fundamental é que independentemente da motivação, direitos serão reconhecidos e isso é um ganho para todas as pessoas que exercem a prostituição”.

 

Manifestação em Brasília
por

Analistas acreditam que o mercado do sexo será movimentado durante a Copa do Mundo. No Brasil a prostituição não é crime, mas também não é regulamentada como profissão. No momento o projeto de lei 4.211/2012  do deputado Jean Wyllys (PSOL) que propõe a regulamentação dos profissionais do sexo tramita no congresso e vem gerando opiniões polarizadas.

Política Internacional

Presidenta Dilma Rousseff durante reunião dos Chefes de Estado e de Governo dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Los Cabos - México, 18/06/2012

Desde segunda-feira (14/7) lideranças do Brasil, África do Sul, Índia, China e Rússia estão em Fortaleza para a Sexta Cúpula dos BRICS. Como organizações da sociedade civil não possuem assentos na reunião oficial, será promovido a partir do dia 15 um evento paralelo para refletir sobre as questões que envolvem o bloco, principalmente a criação do banco de desenvolvimento dos BRICS, que deve ser fundado durante a reunião oficial.

Capa do  Boletim especial G20 "A cúpula dos BRICS - O Clube dentro do Clube"

Começa na terça-feira (15) a sexta cúpula do Brics, neste contexto, a Fundação lança o Boletim especial G20 "A cúpula dos BRICS - O Clube dentro do Clube". Nesta edição, acadêmicos e ativistas compartilham pontos de vista sobre o potencial dos BRICS e suas novas iniciativas.

Charge dos líderes das vinte principais economias do mundo (G20)

A Fundação Heinrich Böll publica periodicamente  o informativo em inglês , "G20 Update" sobre os processos e os resultados das questões que envolvem a cúpula do G20. Especialistas, pesquisadores e representantes das  organizações da sociedade civil contribuem em diferentes artigos. A publicação também traz sugestões de leitura. Algumas publicações estão disponíveis em espanhol.