Página Inicial

Campanha Energia pela vida quer que sociedade discuta a política energética do País
por

A Campanha Energia para a Vida tem como objetivo central levar informações à população sobre a atual política energética e mobilizá-la em favor de sua transformação. Os raios do sol são intensos em todo o território nacional e devem ser assumidos como a fonte prioritária, complementada pelos ventos e pela transformação da biomassa em biogás.

Democracia

Rua 25 de Março, no distrito da Sé, cidade de São Paulo, Brasil.

O vídeo "Nova Classe Média - mito ou realidade?" traz questionamentos e análises sobre a utilização do termo “classe média” na atual sociedade brasileira dando enfoque a quesitos sócio-político-econômicos do país. O vídeo conta, entre outros, com a participação de autores da publicação "A Nova Classe Média como conceito e projeto político" como Marcio Pochmann.

Nina Madsen do CFEMEA em lançamento do livro "A Nova Classe Média no Brasil como Conceito e Projeto Político"
por

Temos, em 2014, um cenário eleitoral inédito no Brasil. São as primeiras eleições gerais nas quais a lei de cotas, que determina o preenchimento obrigatório de 30% das listas de candidaturas por mulheres, é cumprida.

No Dia D de Combate à Corrupção Eleitoral, moradores do Distrito Federal recebem orientações sobre o uso correto da urna eletrônica e a importância do voto
por

Relevante, complexa e, por vezes, desmotivada são palavras que podem descrever a tarefa de escolher em quem votar, por isso, há menos de onze dias para as eleições, muitos eleitores ainda estão indecisos. As opções são muitas: 12 candidatos para presidente; 176 para governador, 185 para senador, 7.139 para deputado federal, 17.008 para deputado estadual e 1.028 para deputado distrital.

Direitos Humanos

Os donos do morro na Livraria da Travessa
por

Até hoje as UPPs foram muito mais discutidas do que avaliadas. Nesse sentido, a pesquisa publicada como livro "Os donos do morro: uma avaliação exploratória do impacto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro" veio colaborar para preencher essa lacuna. Acesse a versão digital e saiba como conseguir cópias impressas.

Esgoto a céu aberto na Favela Estrutural, em Brasília
por

As condições e perspectivas do Brasil sob a política desenvolvimentista dos últimos anos são marcadas por políticas contraditórias. A política monetária agudiza as contradições entre demandas por direitos sociais e austeridade apregoada para angariar a confiança dos investidores, analisa Sonia Fleury, professora titular da Fundação Getúlio Vargas. A inserção dos pobres via mercado e consumo não garante a existência de uma sociedade mais igualitária. 

O evento “Os Donos do Morro”: debate sobre o futuro das UPPs previsto para a noite do dia 14 de outubro, na UERJ, teve de ser cancelado devido a uma manifestação de estudantes da UERJ e representantes de coletivos populares contrários às UPPs.O evento lançaria um livro fruto de uma pesquisa realizada por pesquisadores da UERJ sobre as UPPs e não faz nenhuma apologia às UPPs. 

Ecologia Política

Sistema de painéis fotovoltaicos próximo à Thüngen, Alemanha
por

Heitor Scalambrini Costa, professor da Universidade Federal de Pernambuco, analisa  o “leilão da energia solar”, que aconteceu no final de outubro e conclui que “o sucesso desta fonte de energia, em outros países, se deve basicamente a implementação de políticas publicas. No Brasil, o poder público tem ignorado esta fonte energética, que hoje está presente na matriz elétrica com menos de 0,1% do total . 

Caravana de agroecologia de Santarém em 2014

Entre 11 e 14 de novembro, será realizado no Rio o "Seminário Internacional Ecologia Política na América Latina: Desafios práticos e teóricos" que busca refletir sobre questões pertinentes ao campo da Ecologia Política, não apenas promovendo o debate acadêmico entre aqueles que pesquisam, militam ou vivem os conflitos pela apropriação dos recursos naturais e territórios neles presentes, como também disseminar para o público mais amplo tais debates de natureza interdisciplinar e caráter cada vez mais urgente.

Investimento em energia eólica é visto como positivo, mas controverso devido aos impactos nas comunidades afetadas
por

É reconhecido o papel importante que a energia eólica tem a desempenhar na matriz energética brasileira enquanto alternativa às fontes de energia fóssil e atômica, mas o modo de implementação dos projetos vem gerando diversos conflitos com populações afetadas indicando casos de injustiça ambiental. 

Gênero

Antonieta Rodriguês é um símbolo de resistência aos processos de remoções
por

A Fundação Heinrich Böll Brasil entrevistou Antonieta Rodriguês: engajada na luta contra as remoções e as injustiças decorrentes das mesmas, Antonieta perdeu sua casa, mas permaneceu no mesmo bairro, recusando a proposta da prefeitura de ocupar uma unidade do Programa Minha, Casa Minha Vida em Vila Cosmos, a 60 km de distância de sua antiga residência. 

Deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ)
por

Em entrevista, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) responde a perguntas sobre o projeto Gabriela Leite (PL 4.211/2012) e argumenta que “muitas pessoas entram na prostituição por necessidade, como também é fato que muitas entram por vontade própria, porém, o fundamental é que independentemente da motivação, direitos serão reconhecidos e isso é um ganho para todas as pessoas que exercem a prostituição”.

 

Manifestação em Brasília
por

Analistas acreditam que o mercado do sexo será movimentado durante a Copa do Mundo. No Brasil a prostituição não é crime, mas também não é regulamentada como profissão. No momento o projeto de lei 4.211/2012  do deputado Jean Wyllys (PSOL) que propõe a regulamentação dos profissionais do sexo tramita no congresso e vem gerando opiniões polarizadas.

Política Internacional

Por dentro dos BRICS

A Fundação Heinrich Böll produziu uma série de vídeos com perguntas para representantes da sociedade civil do Brasil, África do Sul,  Índia e China, países integrantes do bloco político de cooperação BRICS, que trazem reflexões sobre os BRICS, o novo banco de desenvolvimento do bloco e a participação da sociedade civil. 
 

Chefes de Estado na VI Cúpula dos BRICS - Fortaleza - julho de 2014
por

Ana Garcia, professora de Relações Internacionais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e participante das atividades da sociedade civil durante a VI Cúpula dos BRICS em Fortaleza, analisa neste texto o novo Banco dos BRICS e as perspectivas da sociedade civil internacional de criar um "BRICS pelas bases".
 

 

Organizações e movimentos sociais dos países dos BRICS, que ocupam um quarto da área do planeta, reuniram-se em Fortaleza para debater questões ligadas ao novo banco do bloco
por

Diante da indefinição por parte dos governos sobre o que se entende por desenvolvimento sustentável, os povos dos BRICS deverão demandar que o bloco priorize um novo caminho de desenvolvimento.

Publicado originalmente na Carta Capital, em 21/07/2014

 

 

 

Canal de Vídeos

Megaeventos

Grid image

Vila Recreio II (Foto: Renato Cosentino)

Dossiê

Apresentamos aqui um dossiê que reúne análises, reportagens, mapas e vídeos sobre os preparativos para a Copa do Mundo 2014 no Brasil. A publicação online mostra como as ações da Fifa, dos governos e das empresas patrocinadoras mercantilizam cada vez mais os espaços públicos usando a justificativa de benefícios futuros para os brasileiros.

Nova classe média: mito ou realidade?

Negociações Climáticas

Grid image
Creative Commons LizenzvertragEsta imagem está sobre licença de Creative Commons License. Photo: UNclimateChange

BRICS e G20

Grid image
Creative Commons LizenzvertragEsta imagem está sobre licença de Creative Commons License. Photo: Palazzo Chigi

Por ocasião da VI Cúpula dos BRICS, que aconteceu em julho de 2014 no Brasil, na cidade de Fortaleza – Ceará, esta seção reúne textos e publicações referentes aos BRICS e o G20 buscando informar sobre os temas debatidos, as decisões tomadas no evento oficial e o posicionamento da sociedade civil.

Eventos

Não há eventos programados no momento.

Últimos Tweets