Capa do Livro Mulheres amazônidas: ecofeminismo, mineração e economias populares

Mulheres amazônidas: ecofeminismo, mineração e economias populares

For free

Entre agosto e outubro de 2020, o Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos), em parceria com a Faculdade de Educação do Campo da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT), promoveram um ciclo de debates para mulheres do sudeste do Pará. A região, marcada pela luta pela terra, também enfrenta a ocupação de grandes projetos de mineração, que afetam radicalmente o cotidiano da população.

Os debates contaram com quatro rodas de conversa virtuais e estimuladas por convidadas, trazendo para debate temas como a re(x)istência frente aos megaprojetos de mineração; a relação com a natureza e a defesa da vida; as violências econômicas e financeiras contra as mulheres, além de abordar conceitos como o de neoliberalismo e corpo-território.

As temáticas buscam aprofundar discussões que emergiram durante a primeira fase destes encontros, ainda em 2020. Na ocasião, quatro lives protagonizadas por lideranças de movimentos sociais, professoras e pesquisadoras da região abordaram as desigualdades enfrentadas pelas mulheres em seus territórios e seus esforços de defesa de suas comunidades. Os encontros deram origem ao livro Mulheres amazônidas: ecofeminismo, mineração e economias populares.

Detalhes da publicação
Data da publicação
Dezembro de 2020
Número de páginas
66
Licença
All rights reserved
Idioma da publicação
Português
Índice

Prefácio  
 

Introdução  
 

Uma leitura (eco)feminista sobre a CFEM
 

Corpos-territórios no enfrentamento a megaprojetos extrativistas: reflexões sobre formas de (r)existir e viver a partir dos territórios de Abya Yala.
 

A acumulação capitalista na Amazônia: uma abordagem a partir dos grandes projetos
 

Mulheres amazônidas, difíceis territorialidades em tempos de crise pandêmica: um exercício de cartografia