Direitos Humanos

Capa da publicação "Pela vida das mulheres". Fundo azul escuro em degradê com o título da obra em azul claro e branco. No canto inferior esquerdo, desenhos de mulheres diversas.

Pela vida de todas elas

Published: 26 Novembro 2021

Fruto de uma pesquisa realizada na campanha Pela vida de todas elas, a publicação reúne dados, estatísticas e informações sobre violência contra a mulher, focando em mulheres com deficiência. 

Capa Mapeamento de fluxos  de atendimento para mulheres

Mapeamento de fluxos de atendimento para mulheres

Published: 18 Outubro 2021

Este material propõe um diagnóstico das políticas públicas e das iniciativas da sociedade civil que combatem a violência institucional cometida contra as mulheres, tendo como eixos centrais as dimensões de gênero e raça.

Capa Caderno de Campo: Notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros

Caderno de Campo: Notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros

Published: 18 Outubro 2021

O “Caderno de campo: notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros” traz a visão de duas intelectuais em processo de amadurecimento contínuo e ao mesmo tempo, a conversa próxima, ao pé do ouvido, sensibilizadora das estratégias e vidas de milhares de territórios negros espalhados pelo Rio de Janeiro e Bahia.

Capa Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento

Cadernos Sempreviva: Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento

Published: 18 Outubro 2021

No caderno “Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento”, os textos de Adriana Vieira das Graças, Fabiana de Oliveira Benedito, Helena Zelic, Natália Lobo, Renata Moreno e Silvia Ribeiro buscam revelar mecanismos do capitalismo digital que atacam os processos de emancipação dos povos. Os textos formam, juntos, uma crítica às dinâmicas tecnológicas de mercado que adentram o cotidiano, no trabalho e na vida das mulheres, do campo e da cidade.

Capa Caderno Sempreviva “Neoliberalismo, trabalho e democracia – Trilhas Feministas”

Caderno Sempreviva “Neoliberalismo, trabalho e democracia – Trilhas Feministas”

Published: 18 Outubro 2021

No volume “Neoliberalismo, trabalho e democracia” as autoras Clarisse Goulart Paradis, Franciléia Paula de Castro, Mariana Lacerda, Marilane Teixeira, Miriam Nobre, Nalu Faria e Sarah Luiza de Souza Moreira respondem a esse cenário e recuperam as reflexões já elaboradas a partir da economia feminista para analisar as dinâmicas de precarização da sociedade aprofundadas pela covid-19.

A partir da chamada CPI das milícias, tornou-se conhecida a participação de agentes públicos nesses grupos criminais armados

A expansão das milícias no Rio de Janeiro

Published: 20 Abril 2021
Pesquisa

Ao longo das últimas décadas, o poder armado das chamadas “milícias” sobre territórios, populações e mercados vem se expandindo na cidade do Rio de Janeiro e região metropolitana. Tal expansão tem contribuído para alterar a configuração dos conflitos entre grupos armados territoriais no Rio de Janeiro, que se tornaram ainda mais complexos, caracterizando um quadro volátil, não completamente estabilizado.

Mapa social mostra os dados relacionados ao gênero na pandemia da Covid-19

Mapa Social do Corona #8: Covid e Gênero

Published: 29 Março 2021
Pesquisa

Do ponto de vista biológico, o vírus não escolhe suas vítimas e todos estão sujeitos ao risco de infecção. No entanto, saber como os condicionantes sociais impactam a dinâmica de proliferação do Covid-19, nos ajuda a compreender que na nossa realidade, fatores sociais são os decisores de quem está mais exposto aos riscos de se contaminar. Por isso, o tema da oitava edição do Mapa Social do Corona, do Observatório de Favelas (@defavelas), apoiado pela Fundação Heinrich Böll no Brasil, é a dimensão do gênero no impacto da Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro.

 

fundo rosa com ilustração de rosto de menina

Não foi em vão

Published: 24 Março 2020

Não foi em vão" traz a consolidação da pesquisa iniciada em maio de 2017 sobre mortes por atropelamento ferroviário nos trens metropolitanos do Rio de Janeiro. Esse levantamento iniciou-se a partir da morte de Joana Bonifácio Gouveia, de 19 anos, jovem, negra, universitária e moradora da Baixada Fluminense, morta no dia 24 de abril de 2017, na estação de Coelho da Rocha, ramal Belford Roxo. Foi principiado pela prima de Joana, Rafaela Albergaria, como forma de ressignificar o sofrimento para resistir à criminalização e banalização da vida manifesta nas declarações dadas pela SUPERVIA, que, com intuito de desresponsabilizar-se do ocorrido, imputou à Joana a responsabilidade por sua morte.

capa da publicação

Presenças de um Estado partido: Cidadania e desigualdade no Rio de Janeiro

Published: 3 Março 2020
A partir do conceito de direito a cidade essa publicação analisa a forma com que o Estado nega a si mesmo e suas responsabilidades por aqueles que estão sob seu governo e poder. Para verificar essa realidade os pesquisadores foram a campo em dois bairros: Parque Colúmbia, na franja da cidade do Rio de Janeiro, e Chatuba, na cidade de Mesquita, na Baixada Fluminense. Em comum, esses dois bairros têm um longo histórico de enchentes que repetidas vezes destroem o cotidiano dos moradores que vivem perto da cabeceira dos rios.
 
Capa_Luta pela direito à cidade na amazônia

A luta pelo direito à cidade na Amazônia. O processo de revisão do Plano Diretor de Santarém-PA

Published: 1 Março 2020

Obra coletiva organizada pelo Grupo de Pesquisa “O direito à cidade em Santarém-PA” da Universidade Federal do Oeste do Pará (GDAC/UFOPA) em parceria com a Federação das Associações de Moradores e Organizações Comunitárias de Santarém – FAMCOS e a Federação de Órgãos Para Assistência Social e Educacional – FASE Amazônia. O GDAC acompanhou durante o segundo semestre de 2017 o processo de revisão do Plano Diretor de Santarém e atuação dos movimentos sociais na reivindicação pelo direito à cidade nos espaços institucionais e não institucionais de participação.