A onda de conservadorismo fundamentalista e suas consequências

O conservadorismo fundamentalista é uma realidade que atualmente avança sobre o globo. Esta onda de intolerância afeta, nos diferentes continentes, a manutenção da democracia e a preservação dos direitos humanos. As consequências deste fenômeno se manifestam de diversas formas – seja através da criminalização dos movimentos sociais, ondas de violência, censura da imprensa e assassinato de ativistas.

Roda de conversa "Desafios globais em tempos de conservadorismo e intolerância"
Teaser Image Caption
Barbara Unmussig na roda de conversa "Desafios globais em tempos de conservadorismo e intolerância"

A Quiprocó Filmes e a Fundação Heinrich Böll produziram uma série de vídeos que trazem reflexões sobre a onda de conservadorismo e intolerância que atinge os diversos países do globo. As entrevistas foram gravadas durante o evento "Desafios globais em tempos de conservadorismo e intolerância", que ocorreu no BRICS Policy Center em parceria com o Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio.

Barbara Unmussig, presidente mundial da Fundação Böll, apresenta o conceito de “encolhimento de espaços da sociedade civil”, que explica o fenômeno de restrição aos princípios básicos do Estado de direito como um fato que não é isolado e específico de apenas uma região, mas sim um movimento global.

Bruno Torturra defendeu a ideia de que a crise que vivemos atualmente não é apenas política, mas também uma crise de comunicação. Segundo o jornalista do Estúdio Fluxo, conflitos de informação geram um desiquilíbrio na democracia.

Jesse Levine explica o trabalho da Scholars at Risk, organização internacional que oferece apoio para acadêmicos sob situação de risco e ameaça. Os ataques às universidades, pesquisadores e estudantes é uma das consequências do crescente movimento de conservadorismo que avança globalmente, na medida em que representa o impedimento do direito de pensar, questionar e compartilhar ideias criticamente.