Atlas da carne - fatos e números sobre os animais que comemos

Atlas da carne - fatos e números sobre os animais que comemos

06 setembro 2016 por Fundação Heinrich Böll
pdf
Data da publicação: 2016
Número de páginas: 66
Licença : CC-BY-NC 3.0
Idioma da publicação : Português

Elaborada por pesquisadores do Brasil, Chile, México e da Alemanha, o "Atlas da carne - fatos e números sobre os animais que comemos" apresenta uma pergunta inquietante: você sabia que a produção de carne está relacionada ao desmatamento da Amazônia? A publicação mapeia a produção industrial de carne no mundo e como ela atinge recursos hídricos e solos, influencia as mudanças climáticas e aumenta a desigualdade. O lançamento acontece na terça-feira, dia 6 de setembro, no auditório do Brics Policy Center, localizado em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro.

O Atlas também registra ainda como a criação animal em escala industrial traz consequências como a fome, já que a produção intensiva fica sempre em primeiro plano, em detrimento das necessidades nutricionais de cada país. O cercamento de terras para esse objetivo também causa o deslocamento de pequenos produtores, intensificando problemas sociais. A perda de biodiversidade também é outra grave consequência desse avanço sobre as terras. O Atlas, portanto, indica esses e outros impactos do consumo de carne, seja ela bovina, suína, de aves e de outros tipos como búfalos e ovelhas.

A publicação busca disseminar o máximo de informação quanto aos efeitos da produção de carne e às alternativas a esse modelo predador. Segundo o Atlas, se o consumo de carne continuar crescendo, em 2050 os agricultores e agricultoras terão que produzir 150 milhões de toneladas extra de carne, agravando os problemas. O Atlas da Carne estimula, assim, reflexões sobre como implementar uma pecuária "ecológica, social e ética" como contraponto ao agronegócio nos Estados Unidos, na União Europeia e na América Latina. A publicação traz alternativas ao atual modelo, como a de produzir e consumir a carne localmente, evitando o transporte por milhares de quilômetros. Quer, assim, mostrar ao consumidor de carne toda a cadeia de produção.

No Brasil, onde a crise hídrica já bateu à porta, para cada um quilo de carne, gastam-se 15 mil litros de água. E a criação intensiva, visando à exportação, leva ao uso de fármacos para erradicar doenças e acelerar a engorda. A contaminação do solo e da água, entre outras, são as consequências. A despeito disso, a demanda global por carne aumenta, mais rapidamente nos países emergentes e de forma cadenciada nos Estados Unidos e na Europa.

O Atlas está em sua terceira edição na Alemanha e já foi publicado em espanhol, inglês e francês.  O Brasil ilustra bem a cadeia de produção, pois é um dos maiores produtores de soja do mundo, grão utilizado sobretudo como ração animal. Ao consumir a carne, o cidadão ingere também agrotóxico, usado no cultivo desse defensivo agrícola. A sanha por terra de produtores de soja e outros levam, muitas vezes, à grilagem, à expulsão de pequenos agricultores e a assassinatos de líderes camponeses e indígenas no Brasil. A produção da soja também se desdobra em desmatamento na Amazônia, visto, em maior escala, no Cerrado e no Pantanal, que sofrem também com o avanço das áreas de pastagens, pondo em risco importantes biomas. A pecuária intensiva gera quase um terço dos gases de efeito estufa em nível global.

 

SUMÁRIO: 

PREFÁCIO

INTRODUÇÃO

LIÇÕES SOBRE A CARNE O SURGIMENTO DE UM MERCADO GLOBAL DE CARNE

PODER CONCENTRADO – O FUTURO DA INDÚSTRIA DA CARNE GLOBALIZADA

A PECUÁRIA GLOBALIZADA NA AMÉRICA LATINA

O que a soja brasileira tem a ver com a pecuária globalizada?

As multinacionais brasileiras da carne: vantagem para quem?

Amazônia, Cerrado e Pantanal em risco

O PESO DA CARNE

TRANSFORMANDO ANIMAIS EM PRODUTOS: A INDÚSTRIA DO ABATE

VERMELHO BRILHANTE EMBALADO EM PLÁSTICO – A CONCENTRAÇÃO DO COMÉRCIO

RELAÇÕES CARNAIS: LIVRE COMÉRCIO OU ALIMENTOS SEGUROS

O CUSTO OCULTO DA CARNE E DAS SALSICHAS

PORQUE O PORCO MATA O PEIXE: A PERDA DA BIODIVERSIDADE

CADA VEZ MENOS RAÇAS

O RISCO DOS ANTIBIÓTICOS

ÁGUA: QUANDO A FONTE SECA

FORRAGEM: GRÃOS PARA O COMEDOURO

O CUSTO CLIMÁTICO DO GADO

O GLIFOSATO EM SEU HAMBÚRGUER

A GALINHA INFELIZ – O BOOM IRREFREÁVEL DA PRODUÇÃO AVÍCOLA NO MUNDO

CONSUMIDORES RICOS, PREOCUPAÇÕES EM ALTA

OS BRICS: 500 MILHÕES DE NOVOS CONSUMIDORES

CONVERTENDO PASTOS E MATAGAIS EM PROTEÍNA

EM BUSCA DE BONS ALIMENTOS

O QUE PODEMOS FAZER COMO INDIVÍDUOS E COLETIVOS

RUMO A UMA POLÍTICA PECUÁRIA MAIS SENSATA NA EUROPA

AUTORES E FONTES DE TEXTOS E GRÁFICOS

BIBLIOGRAFIA E INFORMAÇÃO

Sebastião dos S...

Interessante os tópicos analisados mas esqueceram de analisar o tópico referente aos acidentes de trabalho, sejam eles ocorridos no efetivo exercício da profissão ou mesmo no trajeto pois esses trabalhadores não são donos do seu tempo. Quando entram trabalhar neste tipo de indústria vendem além de sua força de trabalho, sua alma e seu tempo. Muitas vezes o transporte é feito de maneira precária e as margens da lei pois ocorrem em horários que a fiscalização é ruim ou mesmo não existe. Penso que os turnos de trabalho existentes neste ramo da indústria não são por acaso. Vale a pena relacionar o desgaste social de famílias destruídas por toda uma geração seja no trabalho de chão de fábrica seja trabalhando na produção de aves em modelo de agricultura familiar.

Maria Casali

Bom dia!!
Onde posso adquirir o Atlas da Carne?
Parabéns pelo trabalho neste site bem elaborado e antenado.
Beijos,
Maria.

Claudio Machado

Achei interessante o tema, os questionamentos e implicações a respeito da produção de um alimento tão apreciado e consumido por nós brasileiros, a carne. Gostaria de saber mais a respeito e como li em um periódico que o livro tem distribuição gratuita, gostaria de saber como proceder para que eu possa receber um exemplar deste.

ALBERT RAYMOND HESSE

PERFEITO MUITO PROFUNDO VOU ACOMPANHAR GOSTEI MUITO VOU DIVULGAR A COISA E SERIA

ZCant

Excelente trabalho, para debater em organizações agropecuárias, escolas, universidades...de consumos e distribuição. Haveremos de fazer a passagens do cartesiano ao integral, inexoravelmente, haverá novos modelos em dinâmica relação integral.

Makko assauri

E um livro q todos deveriam ler!

Dayane C. M. Fe...

Boa Tarde!!

EXCELENTE trabalho!!!
Como faço para adquirir o atlas? Qual o valor?

Muito obrigada!

br-trainee

Estamos gratos por todos os comentários positivos relativos à publicação.

 

Boa Tarde, Dayane.

Para quem mora no Rio de Janeiro, é preciso buscar no escritório da Fundação: Rua da Glória, 190, entre 10h e 18h, de segunda a sexta.

Para aquelas que moram fora do Rio, podemos enviar pelos Correios. Para isso precisamos do endereço com CEP. O endereço deve ser enviado para: info@br.boell.org

 

Obrigada.

Att,

Karina Merencio (karina.merencio@br.boell.org) - Departamento de comunicação

 

 

RickLaser

Meu ver científico mais uma vez aponta para o mesmo problema . A poluição, desigualdade social, derretimento das calotas, etc, etc são causados por um único fator; super pulação global. Causada por nada mais que a interferência humana na seleção natural, que só é lembrada pelo aprimoramento das espécies mas ela faz algo mais importante ,mascarado pelo cristianismo, que é o controle da população das espécies.