Our Topics

Democracia

Democracia: O que queremos

Nas últimas décadas, o Brasil passou por um processo de democratização que trouxe para os cidadãos a garantia dos direitos políticos, com eleições livres e democráticas, estabilidade governamental e o fortalecimento de uma sociedade civil atuante.

Porém, esse processo não foi acompanhado pela diminuição da violência, melhor distribuição de renda e fortalecimento do Estado de direito. A radicalização da democracia e o fortalecimento de seus mecanismos são grandes desafios para a sociedade brasileira.

Nesse sentido, apoiamos iniciativas de promoção e capacitação de grupos autônomos da sociedade civil para a participação social. Disponibilizamos também estudos e promovemos debates em torno das transformações sociais que impactam os processos democráticos.

Conheça a Fundação Böll Brasil

Podcast Tecnopolítica

O professor da Universidade Federal do ABC Sergio Amadeu comanda o Podcast Tecnopolítica. Os episódios são entrevistas com pesquisadores e ativistas que debatem como a tecnologia tem modificado nossas relações sociais, econômicas e políticas.

por Gabriela Pingarilho

Cadernos Religião e Política

No Dia nacional de combate à intolerância religiosa lançamos junto com nossa parceira KOINONIA Presença ecumênica duas publicações: "Caminhos abertos para superar o ódio e a intolerância religiosa na Bahia” e “Por uma perspectiva afrorreligiosa: estratégias de enfrentamento ao racismo religioso”.

Direitos Humanos

Direitos Humanos: O que queremos

A partir da Constituição de 1988, o Brasil teve várias conquistas no campo dos direitos. Do ponto de vista legislativo, o país é referência internacional. Porém, em termos de igualdade prática, ainda há muito a ser alcançado. Por isso, trabalhamos junto com nossos parceiros para fortalecer uma cultura de respeito aos direitos humanos, que esteja presente nas políticas públicas e nas relações de gênero.

Um de nossos temas prioritários é o estabelecimento de uma política de segurança cidadã, que respeite os direitos dos moradores de comunidades populares e ponha fim à impunidade e à brutalidade policial. Promovemos estudos e debates sobre as novas políticas de segurança implementadas no Rio de Janeiro como as UPPs e o combate às milícias. Apoiamos também denúncias de casos exemplares ao sistema de proteção aos direitos humanos da ONU.

O direito à cidade também é foco do nosso trabalho. Apoiamos movimentos sociais e instituições que atuam no monitoramento das políticas e denúncias de violações de direitos em relação às intervenções urbanísticas para a realização dos megaeventos esportivos na cidade do Rio de Janeiro e outras capitais brasileiras.

Gênero e política: Um relato sobre checagem de fatos e notícias nas eleições 2018

Nas últimas eleições um grupo de jornalistas independentes criaram a Eté Checagem a partir da percepção de que muitas pautas vinculadas aos direitos humanos, mulheres, população LGBTQ+, juventude e negritude se tornaram alvos preferenciais das fake news. No tupi, Eté significa verdade, verdadeiro e a Eté Checagem é a primeira agência de checagem especializada nessas temáticas do Brasil. Foto: Renata Costa / Mídia Ninja  CC-BY-NC-SA 2.0

por Leila Leal, Viviane Tavares, Mariana Medeiros

Entrevista: "O caminho que devemos seguir não é o da flexibilização, é o da internalização dos custos sociais e ambientais na matriz dos investimentos"...

Hoje, às 12h28, pétalas de rosa vermelhas e brancas foram jogadas de um helicóptero sobre a ponte no rio Paraopeba, em Brumadinho (MG). Centenas de pessoas, incluindo familiares dos atingidos pelo rompimento da barragem assistiram enquanto faziam um minuto de silêncio. O ato marcou um mês da tragédia com a mina Córrego do Feijão, da empresa Vale, que deixou 179 mortos e 131 desaparecidos. 

por Manoela Vianna

Ecologia Política

Ecologia Política: O que queremos

O Brasil possui a maior floresta tropical e a maior biodiversidade do mundo. No entanto, toda essa riqueza está ameaçada pela destruição de florestas e de outros ecossistemas por grande projetos, pela expansão de monoculturas de soja e cana e pelo avanço da pecuária.

Uma questão chave para o futuro da humanidade são os efeitos das mudanças climáticas. No contexto internacional, o Brasil é um ator de grande importância na construção de um novo acordo global para conter os efeitos desse fenômeno. Por outro lado, o país está no grupo dos maiores poluidores do mundo quando o que está em jogo são as emissões como resultado das queimadas e do desmatamento. Discutir e apoiar iniciativas que podem mudar esse quadro é uma de nossas principais tarefas.

A questão da energia também está no centro do debate sobre desenvolvimento sustentável e mudanças climáticas. Energias renováveis, como eólica e solar, têm o potencial de substituir fontes tradicionais causadoras de grandes impactos ambientais (hidroelétricas) e enormes emissões de CO2 (carvão). Ao mesmo tempo, apesar de cara e perigosa, a energia nuclear aparece como uma falsa solução.

Não à financeirização da natureza

Conferência Latino-Americana sobre Financeirização da Natureza

Negociações Climáticas

O que está em jogo na COP 24?

A COP 24 - Convenção das Nações Unidas sobre Mudança Climáticas - começou em Katowice, Polônia, neste domingo, 2 de dezembro, dois anos, 11 meses e 20 dias desde que o presidente da COP 21, Laurent Fabius, instaurou o histórico Acordo de Paris aos aplausos de delegados de 196 estados que o adotaram por consenso.

por Don Lehr

Atlas do Agronegócio - publicação reúne fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos

As Fundações Heinrich Böll Brasil e Rosa Luxemburgo convidam para o Lançamento do “Atlas do Agronegócio: fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos”.  O evento acontece no dia 4 de setembro, no Rio, e contará com a presença de Bela Gil, Denis Monteiro (Articulação Nacional de Agroecologia, Maureen Santos (Fundação Heinrich Böll) e Gregório Duvivier.

Gênero

Gênero: O que queremos

A política de gênero, assim como as análises e estratégias feministas, ocupam um lugar central e permanente no nosso trabalho, tanto em atividades na Alemanha e no exterior quanto no desenvolvimento da própria organização. 

Apesar dos indiscutíveis avanços obtidos tanto no Brasil quanto em nível internacional, ainda falta muito para que sejam eliminadas as hierarquias, as diferenças de poder e as relações de domínio entre os sexos. Discriminação, preconceito e violência são ainda fatores característicos da vida de milhões de mulheres em todo o mundo. 

Contribuímos para a transformação desse quadro a partir do apoio à capacitação de grupos  autônomos de mulheres para monitorarem a pauta parlamentar relacionada aos direitos sexuais e reprodutivos e para fortalecer os direitos de acesso e proteção à biodiversidade para grupos de mulheres que praticam a medicina tradicional. Além disso, apoiamos campanhas e debates ligados a agroecologia organizados por mulheres.

DOSSIÊ BEIJING+20 - CONQUISTAS E DESAFIOS DAS MULHERES NO BRASIL

Vídeo Beijing+20

Mulheres Digo, patriarcado e eleições na costa sul do Quênia

Jacinta Victoria S. Muinde conversa com Mariamu, líder local do movimento Maendeleo ya Wanawake em sua comunidade nas eleições de 1997 no Quênia. Ela conta sobre as mulheres Digo na costa sul queniana, que participam cada vez mais do panorama político. Mariamu parte do contexto dos anos 1990 e mostra como até as eleições em 2017 se abriram mais espaços para as mulheres exercerem sua autonomia sobre as relações sociais, econômicas e políticas. Foto: Heinrich Böll Stiftung Nairobi / CC BY-NC-ND 2.0

Política Internacional

Política Internacional: O que queremos

O Brasil desponta no cenário internacional como potência emergente e líder na América Latina, ainda que marcada por posicionamentos ambíguos referentes aos direitos humanos. O país também ganha papel de destaque no G20 e nos BRICS.

Nos próximos anos, o país estará ainda mais em evidência ao sediar eventos de escala global como a Copa do Mundo (2014) e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos (2016).

Nesse contexto, acompanhamos a ampliação das novas dimensões do Brasil como ator global, com especial atenção para a atuação do país no G20 e nos BRICS, visando a participação da sociedade civil nos espaços de legitimação democrática. Além disso, promovemos debates e estudos em nível regional, nacional e internacional, com o objetivo de fomentar os diálogos Norte-Sul e Sul-Sul em torno da igualdade de gênero, da sustentabilidade e do respeito aos direitos humanos.

BRICS E G20

Carta dos direitos fundamentais digitais da União Europeia

No contexto de nossa aproximação ao tema da digitalização, apresentamos uma iniciativa interessante sobre os direitos fundamentais digitais que estão sendo debatidos na Alemanha e em toda Europa. Conheça a carta.  

por Fundação Heinrich Böll
Subscribe to RSSAssine o RSS