Protocolo Comunitário das Raizeiras do Cerrado

Reprodução do texto de Terra de Direitos

O direito dos Povos e Comunidades Tradicionais de manter as suas tradições tem sido negligenciado pelo poder público nacional. Há casos de criminalização das práticas tradicionais de cura e impedimento da continuidade, utilizando entraves burocráticos por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A construção da identidade social das raizeiras do Cerrado foi apresentada pela Pacari como estratégia para conquistar o direito de exercer a medicina tradicional e poder demandar políticas públicas de proteção ao conhecimento tradicional e de conservação do Cerrado. A Articulação Pacari é responsável pela criação da primeira famacopéia popular do Brasil.

O Protocolo Comunitário das Raizeiras do Cerrado é uma experiência inédita no Brasil, criada graças aos esforços das próprias mulheres raizeiras, que pouco podem contar com o apoio do poder público. O documento busca criar instrumentos políticos para que se garanta o direito de exercício da medicina tradicional. Além disso, ele deve contribuir na luta pela promoção, manutenção e respeito dessas práticas. A importância das raizeiras na conservação ambiental, e o impacto da construção de grandes projetos na região de Cerrado também devem ser reconhecidos.

 

Detalhes da publicação
Data da publicação
setembro de 2014
Editor/a
Articulação Pacari, Fundação Luterana de Diaconia, Fundação Heinrich Böll
Número de páginas
34
Licença
All rights reserved.
Idioma da publicação
Inglês
ISBN / DOI
978-85-62918-01-8
Índice

The objectives of the biocultural community protocol 4

The Cerrado biome 6

The social identity of healers 8

The social relationships of the healers 12

The effectiveness and safety of home remedies 16

Traditional Cerrado Pharmacopeia 20

Methodology for developing traditional pharmacopeias 22

The Goals of Healers for Cerrado Biodiversity 26

Healers and public policies 30