Guia de política externa feminista da Suécia

Guia de política externa feminista da Suécia

 O "Guia de Política Externa Feminista" é uma publicação do Ministério de Relações Exteriores e pode ser baixado na íntegra aqui.

Depois o governo sueco se declarar um governo feminista, seu publicou o "Guia de Política Exterior Feminista", em 2018. Neste manual o ministério oferece recomendações práticas sobre como introduzir políticas feministas internamente no ministério e externamente nas políticas que o país realiza globalmente.

A abordagem feminista da política externa sueca basea-se nos princípios dos três “R”:

Rights (Direitos): A  política externa feminista procura promover o pleno usufruto dos direitos humanos de todas as mulheres e meninas, inclusive combatendo todas as formas de violência e discriminação que restringem sua liberdade de ação.

Representation (Representação): Uma política externa feminista reconhece a importância da participação e da influência das mulheres nos processos de tomada de decisão em  todos os níveis e em todas as áreas, e buscará o diálogo com representantes de mulheres em todos os níveis, inclusive na sociedade civil.

Resources (Recursos): Uma abordagem feminista na política externa procura garantir que os recursos atinjam a promoção da igualdade de gênero e a igualdade de oportunidades para que todas as mulheres e meninas gozem dos direitos humanos.

O guia revisa os métodos usados para garantir o impacto da política nas relações externas da Suécia e fornece exemplos de como a política externa feminista consegue mudar e dinamizar as normas sociais, que impedem a igualdade de gêneros. Apresenta métodos gerais que foram  utilizados nas três áreas políticas abrangidas pela Suécia – política externa e de segurança, cooperação ao desenvolvimento e política comercial.

Os principais objetivos desta política externa para as mulheres do mundo são:

  • Pleno usufruto dos direitos humanos
  • Liberdade de violência física, psicológica e sexual
  • Participação na prevenção e solução de conflitos e pós-conflitos
  • Participação política e influência em todas as áreas da construção da paz social
  • Direitos econômicos e empoderamento
  • Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos (SDSR)

O Guia do Ministério de Relações Internacionais da Suécia apresenta idéias  concretas sobre como realizar a política externa feminista dentro do próprio ministério, mas, além disso, também mostra como pode servir para outras instituições em outros lugares do mundo.

Conteúdo relacionado

  • Uma paz feminista na Colômbia?

    O acordo de paz da Colômbia é reconhecido internacionalmente como o mais inclusivo da história. O artigo apresenta qual foi o papel das mulheres neste caso, destacando a importância de aplicar uma perspectiva de gênero nas negociações de paz, que historicamente criam programas de reintegração que ignoram as necessidades, capacidades e realidades das mulheres. Foto: McKay Savage / CC-BY 2.0

  • A paz avança com as mulheres

    O grupo de trabalho GPaz publicou um analise das dimensões feministas no processo de paz da Colômbia. Confira o documento na íntegra aqui.