Lançamento de Religião e Política reúne mais de 100 pessoas

Lançamento de Religião e Política reúne mais de 100 pessoas

Lançamento do Religião e PolíticaCreator: Leandro Uchoas. Creative Commons License LogoEsta imagem está sobre licença de Creative Commons License.

Mais de cem pessoas lotaram o auditório do Instituto de Estudos da Religião (ISER) na última quarta-feira (22/3). Era o lançamento do livro “Religião e Política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições 2014”, produzido pela organização em parceria com a Fundação Heinrich Böll Brasil (hbs). Na mesa estava uma das autoras do livro, Christina Vital, antropóloga da Universidade Federal Fluminense (UFF), além do pastor Henrique Vieira, cientista social e ativista, Raquel Sant’Ana, antropóloga da UFF, e Ronaldo Almeida, também antropólogo da UNICAMP/CEBRAP. Representando o ISER, Pedro Strozenberg mediava a discussão.

“Este livro significa o trabalho de muitas pessoas”, disse Marilene de Paula, coordenadora dos programas da hbs. Ele “é resultado do estudo de três candidaturas: Pastor Everaldo a presidente, (Anthony) Garotinho e (Marcelo) Crivella a governador. E o que nos guiou foi uma pergunta: qual é o projeto de poder destes grupos que eles representam, e que vai ter a religião como estratégia? O que isso significa para nós que temos os direitos humanos como valores muito caros?”, disse.

Pedro Strozenberg ressaltou a necessidade de monitorar a participação de grupos religiosos na política como forma de proteção a direitos, conquistados ou em disputa. “Temos que olhar sem preconceito a participação da religião na política, mas também com olhar crítico, ferozmente em defesa dos direitos humanos. Porque muitas vezes, parte desse segmento religioso acaba sendo um ponto de enfrentamento em nossa agenda”, disse. Sua organização, o ISER, tem larga experiência na pesquisa do tema no Brasil.

Após descrição do cenário das eleições de 2014, que inspiraram a pesquisa, Christina Vital fez questão de pontuar certos preconceitos existentes na relação da sociedade com o crescimento dos atores religiosos na política. “É bem interessante analisarmos a produção do debate sobre a laicidade do estado. Porque viemos acompanhando como a laicidade vem sendo apresentada como uma tábua de salvação da democracia, como se expurgar os atores religiosos da cena pública fosse a solução dos problemas do Brasil, e como se isso fosse o divisor de águas entre o conservadorismo e as pautas da esquerda”, afirmou.

O livro também teve, como autores, os pesquisadores Paulo Victor Leite Lopes e Janayna Lui. A publicação é uma espécie de continuidade de uma obra anterior desenvolvida pelas mesmas organizações, de nome “Religião e Política. Uma análise da atuação de parlamentares evangélicos sobre direitos das mulheres e de LGBTs no Brasil”. Registra, também, dois artigos de Magali do Nascimento Cunha e Tatiane dos Santos Duarte.

O evento de lançamento do livro pode ser assistido, integralmente, em vídeo disponível na página da HBS no Facebook
 

O livro pode ser baixado em PDF, integralmente em nosso site.

E pode ser visualizado como livro online aqui.

Algumas matérias e entrevistas sobre o livro estão disponíveis nos sites:

Deutsche Welle

Folha de S.Paulo

Programa Faixa Livre

Carta Capital

Intercept

Projeto Colabora

Agência Pública

Sul 21

Terra

 

 

Conteúdo relacionado

  • Religião e Política - uma análise da atuação de parlamentares evangélicos sobre direitos das mulheres e de LGBTs no Brasil (versão impressa esgotada)

    pdf

    A publicação é resultado de um convite da Fundação Heinrich Böll Brasil ao ISER, no intuito de analisar a importância dos atores religiosos no cenário político nacional a partir das estratégias articuladas por lideranças evangélicas, ligadas ou não a vida político-partidária no Brasil. Para a realização do estudo, foram escolhidos dois episódios recentes que tiveram repercussão nacional. O primeiro foi o tratamento do aborto na campanha presidencial de 2010. O segundo, o caso do “Kit anti-homofobia” ou “Kit Gay”, isto é, do material educativo, parte do Programa Escola Sem Homofobia, criado pelo Ministério da Educação e destinado ao combate à homofobia nas escolas públicas. Esse Kit faz parte de uma política pública voltada para a cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) no Brasil.

  • Religião e Política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições 2014

    pdf

    A publicação registra um amplo estudo sobre as eleições 2014, estabelecendo como eixo as candidaturas de Pastor Everaldo (PSC) a presidente, além de Marcelo Crivella (PRB) e Anthony Garotinho (PP) a governador do Rio de Janeiro. O estudo foi desenvolvido pelo Instituto de Estudos da Religião (ISER) em parceria com a Fundação Heinrich Böll (HBS). O objetivo principal da pesquisa é detectar quais são os projetos políticos estabelecidos, especialmente, por determinados agrupamentos religiosos evangélicos.

Adicione