Financeirização da Natureza na América Latina é tema de Conferência na Amazônia

Financeirização da Natureza na América Latina é tema de Conferência na Amazônia

Conferência Latino-americana sobre Financeirização da Natureza Diversos representantes de organizações convidadas irão debater sobre os mecanismos de pagamento por serviços ambientais, REDD, o mercado de carbono e os movimentos de resistência e alternativas à chamada economia verde. – Creator: Nicolás Medina. Creative Commons License LogoEsta imagem está sob licença de Creative Commons.

Cerca de 80 pessoas estarão reunidas em Belém para a Conferência Latino-Americana sobre Financeirização da Natureza. O encontro acontece de 24 a 27de agosto com a expectativa de gerar muitos debates e reflexões sobre a mercantilização e financeirização da natureza que gera impactos e violações de direitos das comunidades tradicionais e riscos para os bens comuns. Há uma grande preocupação com os projetos de Pagamentos por Serviços Ambientais, como REDD+ (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal). Muitas vezes eles invertem a realidade sobre quem é responsável pelo desmatamento, além do fato de que ao ingressarem nesses projetos, as comunidades correm sérios riscos de perderem o direito a tomar decisão sobre o uso e o futuro de seus territórios e pelos impactos em seus modos de vida e identidade.

A Conferência é voltada para representantes de organizações e movimentos sociais convidados que participam de um processo de três anos de debates realizados pela Fundação Heinrich Böll Brasil, em parceria com os escritórios do Cone Sul e México e entidades e movimentos sociais parceiros nacionais e regionais. Mas haverá um evento público no dia 27/8 e transmissões ao vivo pela internet de parte da programação.

Quatro caravanas simultâneas iniciarão o encontro: Barcarena;  Abaetetuba; Igarapé-Miri e Acará e São Domingos do Capim.  Os destinos são diferentes territórios de populações tradicionais, quilombolas e assentamentos rurais que sofrem violações de direitos, mas que ao mesmo tempo promovem a defesa e reconhecimento de seus estilos de vida. Essas visitas e debates com as comunidades locais são consideradas fundamentais pelos organizadores porque irão permitir construir uma narrativa a partir dos territórios.

A Conferência é promovida pela Fundação Heinrich Böll Brasil, em parceria com o Grupo Carta de Belém, Jubileu Sul Américas, Via Campesina, Marcha Mundial de Mulheres, Fase, Fundo Dema, Amigos da Terra – América Latina e Caribe, ETC Group, Central Única dos Trabalhadores (CUT), World Rainforest Movement, Transnational Institute (TNI).

Programação ao vivo na Internet:

Resgatando as experiências das caravanas e Intervenções sobre conjuntura - 26 de agosto - 9:30-13h

Camila Moreno - Grupo Carta de Belém
Luiz Zarref – MST e Via Campesina
Thomas Fatheuer - KoBra

Café com debate  - 26 de agosto - 14h30 - 18h00

Palma Africana - César Herrera (OFRANEH - Honduras) e Guilherme Carvalho (FASE - AM)
REDD+ e PSA - Ninawa Huni Kui (Aldeia Kurumêm, Yskuiá - Acre), Winnie Overbeek (WRI) e Manoel Edvaldo (STTR-Santarém - PA)
Biodiversidade e offseting - Maxime Combes (Attac)
France e Isacc Rojas (ATI)
Indústria Extrativa - Rosa Rivero (MMM - Peru) e Julianna Malerba (RBJA)

Onde assistir: http://br.boell.org/  ou http://www.ustream.tv/channel/radio-mundo-real

Debate público  - 27 de agosto – 18h

As negociações de clima da COP 21 e suas implicações para Amazônia

Maxime Combes - Attac France

Marcela Vecchione - Grupo Carta de Belém

Giancarlo Guerra - Forum Solidariedad Perú

O debate é aberto e não é necessária inscrição.

Local: Hotel Beira Rio - Av. Bernardo Sayão, 4804 - Guamá, Belém - PA

Haverá transmissão ao vivo pela internet: http://br.boell.org/  ou http://www.ustream.tv/channel/radio-mundo-real

 

Conteúdo relacionado

0 Comments

Adicione

Adicione