All Content

Ecologia Política – Todas as publicações

81 - 100 de 298

Os principais desafios que o mundo debate em Paris

Com o objetivo de assegurar que os acordos estejam assinados no fim do evento, dia 11 de dezembro, o foco será em um “Pacote Climático de Paris” (Paris Climate Package), em que outras decisões também sejam encaminhadas, além do acordo jurídico universal negociado pela ADP. Leia mais no artigo da pesquisadora Camila Moreno que está em Paris acompanhando a COP21

por Camila Moreno

O complexo debate internacional sobre o REDD

Para alguns, um mecanismo de compensação poderia incentivar os países a impedirem o desmatamento e, assim, reduzir as emissões. No entanto, este mecanismo econômico relativamente simples é controverso e, segundo especialistas, pode ser considerado uma falsa solução. Entenda no artigo de Maureen Santos. 

por Maureen Santos

Grupo Carta de Belém se posiciona sobre decreto que cria comissão do REDD

Coerente com sua postura histórica nas negociações preparatórias à COP 21 em relação a não abrir as portas para a geração de créditos de compensação (offsetting) nas ações de REDD+ (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação), o governo brasileiro publicou na sexta feira, dia 27 de novembro, o Decreto 8.576 que institui a Comissão Nacional para REDD+.

Maureen Santos analisa os processos em torno da COP 21 para o Observatório da Imprensa

A coordenadora de Justiça Socioambiental da Fundação Heinrich Böll Brasil, Maureen Santos, participou, na última quinta-feira (05/11), do Observatório da Imprensa, na TV Brasil. Apresentado por Alberto Dines, o episódio debateu a próxima Conferência do Clima (COP 21), que terá início em 30 de novembro e segue até 11 de dezembro. Confira o programa.

por Bruna de Lara

Comitiva alemã visita Mato Grosso para avaliar impactos socioambientais do cultivo da soja

Anton Hofreiter, líder do partido alemão “Bündnis 90/Die Grünen no Bundestag” - em português a “Aliança '90/Os Verdes” -, visitou o estado do Mato Grosso, em viagem organizada pela FASE MT e o ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lucas do Rio Verde (MT), em parceria com a Fundação Heinrich Böll Brasil. O objetivo era avaliar os impactos da cultura de soja no estado. O deputado federal alemão fez uma passagem por Lucas do Rio Verde, onde encontrou-se com o vice-prefeito, Miguel Vaz Ribeiro, ex-presidente da Fiagril, empresa que comercializa, entre outros produtos, agrotóxicos e biodiesel.

 

 

 
por Andrés Pasquis/Gias

Novo código florestal será tema de debate em Brasília

Tramitam no STF quatro ações diretas de inconstitucionalidade do novo Código Florestal, sancionado em 2012. O Código é considerado problemático por muitos porque flexibiliza a proteção ambiental de diversas formas, entre elas mudana o caráter das áreas de preservação permanente e de reserva legal; além de promover a ideia de que o patrimônio ambiental deve ser protegido na medida do seu valor monetário abrindo terreno para o crescimento da chamada financeirização da natureza e dos bens comuns, como ar, água, etc. Nesse contexto, o Ministério Público Federal receberá, na próxima quarta-feira, dia 4, em Brasília, o evento “Novo Código Florestal em debate”.

por Manoela Vianna

Financeirização da Natureza na América Latina é tema de Conferência na Amazônia

Cerca de 80 pessoas estarão reunidas em Belém para a Conferência Latino-Americana sobre Financeirização da Natureza. O encontro acontece de 24 a 27de agosto com a expectativa de gerar muitos debates e reflexões sobre a mercantilização e financeirização da natureza que gera impactos e violações de direitos das comunidades tradicionais e riscos para os bens comuns. 

por Manoela Vianna

Por uma baía viva - movimento quer mais transparência e garantia dos direitos das populações do entorno da Baía de Guanabara

A maior parte dos cariocas que nasceu nos anos 80 passou a vida escutando promessas sobre a despoluição da Baía de Guanabara. Vieram as propostas dos Japoneses, investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, projetos que já custaram mais de US$ 1 bilhão, segundo o G1. Tudo isso sempre gerou esperanças de salvar o espelho d água, principalmente aquele que abriga o Pão de Açúcar e Niterói. Mas a beleza da Baía e os ciclos de promessas contrastam com a pouca visibilidade de todas as outras questões relacionadas com as populações do entorno da segunda maior enseada do Brasil.

por Manoela Vianna

Pages