All Content

Ecologia Política – Todas as publicações

281 - 298 de 298

O que está em jogo na COP 10

Representantes de 193 países estão reunidos em Nagoya (Japão) para tentar negociar temas polêmicos e complexos que estão na pauta da COP 10 (10ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU). Um das definições mais aguardadas é a definição de um mecanismo de ABS (Acesso e Repartição de Benefícios, na sigla em inglês) que interessa muito ao Brasil. Além disso, são aguardadas a atualização dos programas e cronogramas de trabalho para a contenção das perdas de biodiversidade e o estabelecimento de novas metas globais, já que as adotadas para 2010 fracassaram.
As propostas da COP 10 são avaliadas pelos Grupos de Trabalho e depois avaliadas em plenário. As decisões mais difíceis ficam para os últimos dias, 27 a 29, durante o High Level Segment, quando representantes de governo e chefes de Estado dão a posição final de cada país.

por Sabrina Petry

Deputada alemã: Não à garantia financeira para construção da usina nuclear de Angra 3

A energia nuclear é altamente perigosa, prejudica o meio ambiente, é absurdamente cara e dificulta alternativas seguras de energias renováveis. Portanto, o governo alemão não deve conceder garantia de crédito “Hermes” para ajudar a construir a nova usina nuclear em Angra dos Reis (RJ). Este foi o recado da deputada federal alemã Ute Koczy aos representantes dos governos do Estado do Rio de Janeiro e federal e de empresas estatais brasileiras. Reuniões com o representantes do governo do Rio e com a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), além de uma visita oficial à Usina Nuclear de Angra 2, foram os destaques da primeira fase da viagem da deputada alemã ao Brasil. A porta-voz do Partido Verde alemão para as questões ligadas à política de desenvolvimento da Alemanha chegou ao Brasil em 22 de agosto. O motivo da viagem é informar-se sobre a política nuclear do país, com ênfase nos efeitos sócio-ambientais.

por August 25, 2010

O que é política verde hoje?

Marina Silva, pré-candidata do PV à Presidência da República, fez algumas declarações sobre energia limpa em um encontro com a deputada federal do Partido Verde alemão, Bärbel Höhn, e com a diretora da Fundação Heinrich Böll em Berlim, Barbara Unmüssig. O encontro aconteceu no dia 12 de abril, momentos antes da abertura da Conferência “O que é política verde hoje?”, organizada pela Fundação em comemoração aos seus 10 anos no Brasil. A conversa girou em torno de questões sobre meio ambiente e sustentabilidade e, obviamente, sobre a pré-candidatura da senadora. Confira os principais trechos do encontro.

por Marina Silva

Copenhague e o clima

Um dos assuntos de maior interesse para o Brasil em Copenhague é o que trata de REDD (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação). Este é um tema complexo que envolve interesses distintos de grupos variados, desde empresários do agronegócio até ribeirinhos e populações indígenas. Veja os arquivos.

Clima e Floresta em debate

 

A COP 15 (15a Conferência das Partes das Nações Unidas em Mudança Global do Clima) que acontecerá em dezembro, em Copenhague (Dinamarca), se aproxima e, entre outras definições, vai determinar o segundo período do Protocolo de Quioto (o primeiro ia do ano de 2008 até 2012), que estabeleceu compromissos de redução das emissões de gases que agravam o efeito estufa para todos os países com responsabilidades comuns, mas metas diferenciadas. O chamado período de compromisso previa a redução mínima de 5% das emissões em relação ao ano de 1990, valor criticado por ser considerado muito baixo.

por Äquipotentiallinie/Fotolia

Carta de Belém: os efeitos das mudanças climáticas e a política de REDD’s

Durante os dias 02 e 03 de outubro estiveram reunidos em Belém no seminário “Clima e Floresta- REDD e mecanismos de mercado como solução para a Amazônia?” várias organizações e movimentos sociais para debater os efeitos das mudanças climáticas e as soluções para o problema. O resultado do evento foi uma carta tornada pública na qual os presentes manifestam a não aceitação dos mecanismos de REDD’s (Redução por Emissões por Desmatamento e Degradação) como solução à crise climática por se tratar de mais um instrumento criado pelo mercado para continuar poluindo e reforçam que as medidas eficazes para combater o desmatamento são resolução dos conflitos fundiários e a transformação no modelo de exploração predatória dos recursos naturais. Leia a carta na íntegra.

por Terra de Direitos

Belo Monte: Cancelamento de audiências e "falhas graves" nos estudos de impacto ambiental

No início de outubro, o Ibama anunciou que não realizaria mais nenhuma audiência pública para discutir o projeto da usina de Belo Monte, no Rio Xingu. As audiências, no total de 17, haviam sido requeridas pelo Ministério Público Federal do Pará, com base nos pedidos das organizações e movimentos sociais da região que será afetada pela barragem. O órgão alegou que as quatro  audiências realizadas até agora já serviram para esclarecer os impactos e supostos benefícios à população local durante os cerca de dez anos que levarão para que a construção seja finalizada.

Ibama nega audiência de Belo Monte

Entre os dias 10 e 15 do mês passado, o Ibama promoveu audiências para a discussão do empreendimento nas cidades paraenses de Brasil Novo, Vitória do Xingu, Altamira e Belém. A realização de novas audiências inviabilizaria a concessão da licença prévia a tempo de permitir que o governo federal coloque o projeto em leilão ainda neste ano.

por Agnaldo Brito

Relatório vê falhas graves em estudo de impacto

Relatório produzido por grupo de 40 pesquisadores ligados a centros como USP, Unicamp, ITA, Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) e UFPA (Universidade Federal do Pará) identificou falhas graves nos estudos de impacto ambiental para a construção da megausina de Belo Monte (PA). O conjunto de pareceres analisou ponto a ponto o que foi entregue para o governo federal.

por João Carlos Magalhães

Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direitos dos agricultores

Nos dias 25 e 26 de agosto de 2009, representantes de 80 organizações de agricultores, movimentos sociais, ONGs e de entidades de defesa dos consumidores de todo o País reuniram-se na cidade de Curitiba para debater a atual situação dos transgênicos e seus impactos sobre a biodiversidade, a saúde pública e os direitos de agricultores e consumidores.

A pecuária brasileira

Em tempos de aquecimento global, é o bioma da Amazônia brasileira que mais tem chamado a atenção para os efeitos perversos da pecuária. Segundo relatório divulgado recentemente pelo Greenpeace, a indústria da pecuária naquela região é responsável por um em cada oito hectares destruídos globalmente. “A destruição da Amazônia, o mais importante estoque de carbono florestal do mundo, está sendo impulsionada pelo setor pecuário”, diz o relatório.

por © Foto: Marion Book/macondo

McPlanet 2009

O ambientalista Sergio Dialetechi representou a Fundação num dos painéis que tinha como tema "A energia nuclear e o acidente de Chernobyl". Além disso, Sergio, junto com outros ativistas, também participou de uma série de encontros na semana anterior ao McPlanet, organizados pela Fundação, para discutir o problema da construção de novas usinas nucleares no Brasil e que tinha como objetivo alertar para o grave problema que isso representa.

Confira outras informações em nosso arquivo

Entre os dias 17 e 19 de março de 2009 aconteceu no Rio de Janeiro a LAREF (feira latino-americana de energias renováveis, na sigla em inglês) e que teve apoio da Fundação Heinrich Böll. O tema principal do evento deste ano foi a energia solar e a coletiva de imprensa, na abertura da conferência, abordou o tema de forma bastante enfática. Um dos presentes à mesa era o representante desta indústria, Antônio Granadero (Kyocera Solar).

Clima e mudanças na amazônia brasileira

Leia as reportagens sobre a conferência Clima e Mudanças na Amazônia feitas pela jornalista Daniela Chiaretti, do jornal Valor Econômico, que viajou para Berlim a convite da Fundação Heinrich Böll. 

Convenção da Diversidade Biológica

Começou segunda-feira, dia 12, o Quarto Encontro das Partes do Protocolo de Cartagena de Biosssegurança (MOP-4) da Convenção da Diversidade Biológica da ONU e, na próxima semana, tem início o Nono Encontro das Partes da Convenção de Diversidade Biológica. Representantes de mais de 140 países estão em Bonn (Alemanha) para negociar diversos temas do Protocolo, que trata de assuntos como transgênicos e biossegurança, mas também para discutir sobre outros temas controversos como árvores transgênicas e agrobiodiversidade.

Pages