All Content

Direitos Humanos – Todas as publicações

61 - 80 de 162

Rio 2016: jogos da exclusão

Os Jogos Olímpicos 2016 se tornaram o principal argumento dos governos para todo tipo de intervenção urbana na cidade do Rio de Janeiro. Quais atores políticos e econômicos se beneficiaram e quais alianças foram necessárias? 

por Renato Cosentino

Olhos abertos para a Guanabara

Livro aborda a situação de uma das mais belas baías do mundo. O livro de Emanuel Alencar tem lançamento previsto para dia, às 18h30, no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no Flamengo. A publicação foi idealizada pela Fundação Heinrich Böll em parceria com a editora Mórula.

Uma Vila que existe porque resiste e insiste

O caso da Vila Autódromo é um tema que em nada reflete o espírito olímpico e que ganha cada vez mais espaço na cobertura mundial dos jogos de 2016, que acontecem daqui a quatro meses no Rio de Janeiro. Apenas chegar à Vila já é considerado um desafio. O acesso a comunidade, que fica em Jacarepaguá, zona Oeste do Rio, está camuflado entre canteiros de obras e é preciso praticamente inventar um caminho para avistar a placa que dá as boas-vindas à comunidade. 

por Manoela Vianna

Vila autódromo: moradores reivindicam urbanização com plano popular

A comunidade Vila Autódromo promove o lançamento da versão atual do Plano Popular de Urbanização, feito em parceria com as Universidades UFF e UFRJ, com apoio da Fundação Heinrich Böll, entre outras organizações. Foram convidados oficialmente o Prefeito Eduardo Paes, o Governador Luiz Fernando Pezão, e a Presidente Dilma Roussef.

por Manoela Vianna

Com a palavra, os jovens

"Você pode ser evangélico, você pode ser candomblencista, você pode ser da religião que for, mas se você for preto, você tá na mira," esta foi uma das falas dos jovens participantes do encontro inter-religioso "A Bala Não Escolhe Sua Fé", registrado em dois vídeos. 

por Manoela Vianna

Os vizinhos esquecidos do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj

Em 2006 o então presidente Lula lançou a pedra fundamental do Comperj afirmando que só as obras gerariam 212 mil empregos e que a Petrobrás era “ o filho que todo mundo gostaria de ter, uma espécie de Ronaldinho das indústrias brasileira. A fala do ex-presidente mostra que o Complexo representava desenvolvimento para região e para o Brasil, tudo isso assegurado pela confiança na Petrobras. Quase dez anos depois seria bem difícil que até mesmo o otimista Luiz Inácio Lula da Silva fizesse discurso parecido. 

 

 

por Manoela Vianna

Justiça Global lança mapa interativo “Onde a Polícia Mata”

Site lançado pela Justiça Global mostra homicídios cometidos pela Polícia Militar do Rio de Janeiro entre 2010 e 2015. O mapa interativo é intitulado “Onde a Polícia Mata” e contou com o apoio da Fundação Heinrich Böll Brasil para ser realizado.

por Karina Merencio

Circulando - Diálogo e Comunicação na favela recontando histórias

No próximo dia 12 de dezembro, o Complexo do Alemão será palco de mais uma edição do evento Circulando - Diálogo e Comunicação na Favela. Realizado pelo Instituto Raízes em Movimento, desta vez o Circulando vai tratar de temas relacionados a memórias. Será uma tarde repleta de intervenções construtivas nas ruas do Alemão. A Fundação Heinrich Böll Brasil apoia o evento.

Por uma baía viva - movimento quer mais transparência e garantia dos direitos das populações do entorno da Baía de Guanabara

A maior parte dos cariocas que nasceu nos anos 80 passou a vida escutando promessas sobre a despoluição da Baía de Guanabara. Vieram as propostas dos Japoneses, investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, projetos que já custaram mais de US$ 1 bilhão, segundo o G1. Tudo isso sempre gerou esperanças de salvar o espelho d água, principalmente aquele que abriga o Pão de Açúcar e Niterói. Mas a beleza da Baía e os ciclos de promessas contrastam com a pouca visibilidade de todas as outras questões relacionadas com as populações do entorno da segunda maior enseada do Brasil.

por Manoela Vianna

Editora Mórula responde prefeito do Rio

A administração de Eduardo Paes é campeã no número de remoções compulsórias na história do Rio de Janeiro, na frente dos governos de Pereira Passos (1902-1906) e Carlos Lacerda (1960-1965), de acordo com informações do livro SMH2016, publicado pela editora Mórula com apoio da Fundação Heinrich Böll. Apesar das notórias violações de direitos apontadas pelo livro, relatos de vítimas e outras pesquisas, a publicação foi qualificada pelo prefeito como “conjunto de asneiras," durante uma sabatina realizada pela Folha de São Paulo e UOL.

por Manoela Vianna

Humilhação e criminalização a cada visita

Entrou em vigor em junho no Rio de Janeiro a lei que extingue a revista vexatória em presídios do estado. Objeto de constantes denúncias de ONGs nacionais e internacionais, a revista vexatória submete familiares em visita às pessoas privadas de liberdade a passarem por uma inspeção abusiva sem roupas feitas por agentes penitenciários. O procedimento ainda acontece em vários estados do País. Saiba mais no artigo da Justiça Global.   

 

por Justiça Global

A FIFA e a Copa novamente nos holofotes

Numa ação conjunta entre FBI (Federal Bureau of Investigation) e a polícia suíça, no final de maio, a Fifa teve sete dirigentes detidos em Zurique, além de dois indiciados sob alegação de crimes ligados a conspiração, fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e obstrução da justiça. O novo escândalo trouxe novamente os holofotes para a Copa do Mundo de 2014 e seus legados.

Vídeo: Segurança Pública e Convivência na Cidade

Marcelo Yuka (intelectual e um dos fundadores da banda Rappa), Raquel Willadino (Observatório de Favelas), Vinicius George (delegado da Polícia Civil), Edson Diniz (Redes da Maré) e Dudu do Morro Agudo (Movimento dos Enraizados) participaram da edição do projeto Diálogos da Espocc (ESPOCC - Escola Popular de Comunicação Crítica) promovido pelo Observatório de Favelas em parceria com a Fundação Heinrich Böll.

por Manoela Vianna

Pages