indústria do petróleo

Os vizinhos esquecidos do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj

Em 2006 o então presidente Lula lançou a pedra fundamental do Comperj afirmando que só as obras gerariam 212 mil empregos e que a Petrobrás era “ o filho que todo mundo gostaria de ter, uma espécie de Ronaldinho das indústrias brasileira. A fala do ex-presidente mostra que o Complexo representava desenvolvimento para região e para o Brasil, tudo isso assegurado pela confiança na Petrobras. Quase dez anos depois seria bem difícil que até mesmo o otimista Luiz Inácio Lula da Silva fizesse discurso parecido. 

 

 

por Manoela Vianna

Por uma baía viva - movimento quer mais transparência e garantia dos direitos das populações do entorno da Baía de Guanabara

A maior parte dos cariocas que nasceu nos anos 80 passou a vida escutando promessas sobre a despoluição da Baía de Guanabara. Vieram as propostas dos Japoneses, investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, projetos que já custaram mais de US$ 1 bilhão, segundo o G1. Tudo isso sempre gerou esperanças de salvar o espelho d água, principalmente aquele que abriga o Pão de Açúcar e Niterói. Mas a beleza da Baía e os ciclos de promessas contrastam com a pouca visibilidade de todas as outras questões relacionadas com as populações do entorno da segunda maior enseada do Brasil.

por Manoela Vianna