política

Gênero e política: Um relato sobre checagem de fatos e notícias nas eleições 2018

Nas últimas eleições um grupo de jornalistas independentes criaram a Eté Checagem a partir da percepção de que muitas pautas vinculadas aos direitos humanos, mulheres, população LGBTQ+, juventude e negritude se tornaram alvos preferenciais das fake news. No tupi, Eté significa verdade, verdadeiro e a Eté Checagem é a primeira agência de checagem especializada nessas temáticas do Brasil. Foto: Renata Costa / Mídia Ninja  CC-BY-NC-SA 2.0

por Leila Leal, Viviane Tavares, Mariana Medeiros

Eleições 2018: um novo golpe contra as mulheres

pdf

A sub-representação das mulheres se aprofundou, o que torna o Brasil um caso alarmante quando comparado com o resto do mundo: as mulheres são 52% da população, 52,5% do eleitorado e quase metade das filiadas a partidos políticos, mas são menos de 15% dos representantes, o que nos coloca em 157º lugar no ranking da Inter-Parliamentary Union, composto por 196 países. Foto: Mídia Ninja / CC BY-NC-SA 2.0

Fundação Boll lança cinco vídeos sobre "Religião e Política"

Em março, foi lançado o livro “Religião e Política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições 2014”. A publicação registra um estudo sobre as candidaturas, nas eleições 2014, de Pastor Everaldo (PSC) a presidente, além de Marcelo Crivella (PRB) e Anthony Garotinho (PP) a governador do Rio de Janeiro. O estudo foi desenvolvido pelo Instituto de Estudos da Religião (ISER) em parceria com a Fundação Heinrich Böll (hbs). O objetivo principal da pesquisa é detectar quais são os projetos políticos estabelecidos, especialmente, por determinados agrupamentos religiosos evangélicos

Böll Brasil entrevista: Um recorte da conjuntura política por Chico Alencar

No dia 17 de abril o país assistiu a Câmara de Deputados aprovar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, hoje os brasileiros aguardam a decisão dos senadores sobre o futuro da presidente, mas fica cada vez mais notório para a população brasileira que o sim para o afastamento da Presidente não caminha no sentido de uma transformação política de um país que vive uma crise econômica e de representação, tempos nos quais as utopias estão ausentes. É o que reflete o deputado federal Chico Alencar, em entrevista para a Fundação Heinrich Böll. 

por Manoela Vianna

Pages