Missão de direitos humanos e Estado Laico denunciará problemas da objeção de consciência, regulamentada pela Lei Estadual

Missão de direitos humanos e Estado Laico denunciará problemas da objeção de consciência, regulamentada pela Lei Estadual

Evento de luta contra intolerância religiosa
Cantando a gente se entende, evento realizado em 2013 pelo Dia nacional de combate à intolerância Religiosa. — Créditos da imagem

Nesta sexta-feira, 19, foi concluída, no Rio de Janeiro, a missão da Plataforma Dhesca de Direitos Humanos e Estado Laico que buscou verificar se o direito à saúde vem sendo respeitado no contexto da objeção de consciência, regulamentada pela Lei Estadual 6998/15-RJ.

De acordo com a Lei, considera-se objeção de consciência a possibilidade de recusa por um indivíduo da prática de um ato que colida com suas convicções filosóficas, éticas, morais, e religiosas, por imperativo de sua consciência, desde que esta recusa não configure violação a direitos de outros cidadãos expressos no Artigo 9º da Constituição do Estado do Rio de Janeiro.

A missão tem como relatora Ivanilda Figueiredo e sua visita contou com reuniões com organizações e movimentos sociais, agendas institucionais com agentes públicos e executores de políticas públicas, assim como órgãos e conselhos profissionais e escuta e análise de casos emblemáticos de violações de direitos humanos relacionados ao tema da laicidade. Hoje as atividades foram encerradas com a Audiência Pública “Direito à Saúde, Universalidade do Atendimento e Laicidade do Estado”. 

Em um dos casos relatados um filho de Santo com hemorragia, paramentado com as vestimentas do terreiro, precisou de atendimento de emergência. O enfermeiro que o atendeu recusou-se a prestar socorro. 

Em outra situação, uma transexual que precisava realizar exame de ressonância magnética teve o atendimento negado pela profissional que deveria realizar o procedimento. Ao ouvir que a polícia seria acionada, a profissional voltou atrás e fez o atendimento, mas antes colocou músicas “gospel” para a paciente ouvir enquanto o exame era realizado.

Na próxima semana a Relatora divulgará um relato das atividades realizadas e apresentará recomendações ao poder público. 

Conheça a Plataforma Dhesca 

Conteúdo relacionado

  • Religião e Política - uma análise da atuação de parlamentares evangélicos sobre direitos das mulheres e de LGBTs no Brasil (versão impressa esgotada)

    pdf

    A publicação é resultado de um convite da Fundação Heinrich Böll Brasil ao ISER, no intuito de analisar a importância dos atores religiosos no cenário político nacional a partir das estratégias articuladas por lideranças evangélicas, ligadas ou não a vida político-partidária no Brasil. Para a realização do estudo, foram escolhidos dois episódios recentes que tiveram repercussão nacional. O primeiro foi o tratamento do aborto na campanha presidencial de 2010. O segundo, o caso do “Kit anti-homofobia” ou “Kit Gay”, isto é, do material educativo, parte do Programa Escola Sem Homofobia, criado pelo Ministério da Educação e destinado ao combate à homofobia nas escolas públicas. Esse Kit faz parte de uma política pública voltada para a cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) no Brasil.

0 Comments

Adicione

Adicione